quinta-feira, 6 de outubro de 2011

[Sem Nome]

(nº 15)

É em tua sofrida vertigem
que consigo enxergar
a minha monumental patetice

e o resto é só uma ilusão
interposta de certos comentários irônicos
que a tua mente cuida de criar

e fazer da nossa cidade, esse céu amontoado de fogo pálido
que há de queimar a alma dos infelizes.
.........................................................................................
[E eu tenho quebrado meus dedos
mutilado seus nós,
tentando calar minha mente
que fala pelos cotovelos.]

E,a,p'

1 comentários:

Raquel Rodrigues disse...

Pois é.
Infelizmente o triste é bonito.

Postar um comentário