domingo, 3 de julho de 2011

Eu tive um sonho...

...Onde eu tinha um sonho: antes mesmo de ter este, tinha outro: que era um revés de outro, que era melhor ainda. Um labirinto em linha reta, desenraizando outro pela parede invisível de outro sonho.

De repente: eu bebê.

Mas que dentro de um sonho cabem vários, cabem alheios, cabem todos. No fundo, sonho é só um sonho: meio-desejo, meio-realidade, meio nada um pouco tudo (de pouca coisa). Resquício sofrido de toda sorte de imaginação, de toda grande vontade, de todo grande repúdio, que é pesadelo.

No fundo próximo: eu sorrindo!

Eu tinha um sonho: e nesse sonho, eu sonhava, era um sonho sonhado, com cara de trago de cigarro, que comprime a mente, um pulmão -- coração.

Ali: eu no espelho.

Eu sonhei que sonhava um sonho dentro de outro sonho; assim, era quase real, e eu quase era mais vivo, era quase mais gente, era quase mais alguma coisa que não somente esse eu.

E,a,p'

2 comentários:

Raquel Rodrigues disse...

"Somente esse eu"? Sabes o porquê de eu sempre voltar aqui? É pela grandeza desse teu 'somente eu'.

Palavras eximiamente bem aprumadas e arranjadas.
Texto intenso assim como o que ele narra.

Parabéns, Achado!

Eliézer Araújo disse...

Ô rapaz, não me faça acreditar em mim!

Postar um comentário